domingo, 5 de julho de 2020

Flexibilização da quarentena aumenta número de acidentes no trânsito

A reabertura gradual do comércio na flexibilização da quarentena implementada em grandes centros urbanos, como São Paulo e Rio de Janeiro, e a queda nos índices de isolamento social já aumentaram o movimento no trânsito e devem provocar um aumento no número de acidentes. Entidades e especialistas em Medicina de Tráfego alertam que isso reflete diretamente na ocupação de leitos e na mobilização de recursos do Sistema Único de Saúde (SUS) nos hospitais públicos.

O temor é que haja um prejuízo no atendimento a pacientes da Covid-19 justamente quando a pandemia está em curva ascendente no Brasil, que contabiliza mais de 61 mil mortos e quase 1,5 milhão de casos confirmados.

A preocupação dos especialistas da Mobilização de Médicos e Psicólogos Especialistas em Trânsito do Brasil é reforçada por dados da Associação de Medicina Intensiva Brasileira (AMIB), que mostram que 60% dos leitos de UTI são ocupados por vítimas de acidentes de trânsito.

Estes pacientes respondem a 50% das cirurgias de urgência no SUS. “Em um momento em que há uma explosão na demanda por leitos, respiradores e profissionais da saúde, um aumento do número de acidentes pode ter um impacto negativo principalmente nas cidades onde a taxa de ocupação está se aproximando do limite”, afirma o médico especialista em Medicina do Tráfego, Alysson Coimbra de Souza Carvalho.

O reflexo do isolamento social na segurança do trânsito é atestado em números de várias cidades brasileiras. Em cidades do Nordeste onde o lockdown (bloqueio total) foi decretado, a redução foi drástica. Teresina teve uma queda de 95% nos acidentes, entre os meses de março e abril. Fortaleza viu o índice cair 60% durante o período de maior isolamento social.

A retomada das atividades comerciais, no entanto, fez crescer o movimento nas ruas e estradas. No dia 8 de junho, a incidência de congestionamentos cresceu 500% no Rio de Janeiro, na comparação com as semanas anteriores à flexibilização. Em Minas Gerais, desde o fim de abril, o isolamento social caiu de 61% para 36%. Com cerca de 5 milhões de pessoas a mais nas ruas, o número de acidentes aumentou. Apenas em um hospital de Belo Horizonte, o número de internações cresceu 37% em maio, na comparação com a abril.

Na avaliação dos especialistas, o impacto da redução na ocupação de leitos por vítimas de acidentes foi imediato, contribuindo para que os pacientes de Covid-19 pudessem ter acesso a todos os recursos necessários para o tratamento, evitando, em muitos municípios, o colapso do sistema de saúde e um número ainda maior de mortes. “Em uma situação de pandemia e de temor iminente do colapso no sistema de saúde, a segurança no trânsito é uma importante aliada. É preciso um esforço de todos para evitar que isso aconteça. O Brasil é o 4º país do mundo com maior número de mortes no trânsito, ficando atrás somente da China, Índia e Nigéria. Os governos precisam adotar medidas para reduzir esses dados e melhorar a segurança. As pessoas precisam também se conscientizar sobre a importância de seguir as regras de trânsito em qualquer época do ano e, em tempos de pandemia, quem puder, deve ficar em casa. A prudência salva vidas”, afirma o médico.

sábado, 4 de julho de 2020

Rotary Club de São Lourenço do Sul faz doação CADEIRA PARA COLETA DE SANGUE E HEMODIÁLISE e uma MACA FIXA HOSPITALAR - ADULTA, para Santa Casa

Rotary Club de São Lourenço do Sul realizou ontem, 03/07, doações à Santa Casa: uma CADEIRA PARA COLETA DE SANGUE E HEMODIÁLISE e  uma MACA FIXA HOSPITALAR - ADULTA, contribuindo para a melhoria do atendimento à população, que procura a Entidade para atendimento médico hospitalar.

Presentes no momento da entrega o Presidente do Clube, companheiro Selomar Hax, companheiros Guido Lüdtke e João Leonardo Schaun. A Santa Casa foi representada pelo Administrador, Sr. André Hinterholz, Dr. Vinicius Alano de Ataídes – Médico Nefrologista e Cristiane Bergmann - Enfermeira da Hemodiálise.

Foto:José Márcio Malta.

Parler ultrapassa Twitter na Apple Store e fundador comemora: “Tiranos da tecnologia”

Reprodução | Telegraph

Com o Twitter avançando cada vez mais em limitar o alcance de conteúdos classificados como “potencialmente prejudicial ou enganoso”, introduzindo novos rótulos de verificação e derrubando inúmeros perfis – a exemplo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, milhares de usuários migraram para uma nova plataforma de mídia social chamada Parler. O aplicativo é co-fundado por um dos líderes do grupo de jovens Students For Trump, Ryan Fournier, que chama a rede social de “uma plataforma em que você não precisa se preocupar em ser censurado ou banido porque pensa diferente de quem administra a rede”. Vários políticos e palestrantes conservadores de alto perfil, incluindo Ted Cruz (R-TX), abandonaram o Twitter pela promessa de um lugar para discutir ideias sem censura. Republicanos e personalidades conservadoras da mídia começaram a divulgar massivamente o Parler e a fazer regularmente publicações por lá

sexta-feira, 3 de julho de 2020

COVID-19 - Região de São Lourenço do Sul entra na bandeira Vermelha

Com a piora nos indicadores de propagação da Covid-19 e da ocupação de leitos, o mapa do Rio Grande do Sul pode ficar ainda mais vermelho. A atualização preliminar da 9ª rodada do Distanciamento Controlado indica que 10 regiões estão com risco alto, por isso, receberam bandeira vermelha. Embora representem metade das 20 regiões usadas no modelo, somam 73,4% da população gaúcha (8.310.854 habitantes). Na rodada anterior, eram seis regiões, que representavam 46,1% dos gaúchos. As bandeiras definitivas serão divulgadas na segunda-feira (6/7).

As outras 10 regiões ficaram com laranja (risco médio). O Estado segue sem registro de bandeira preta (risco altíssimo), mas, pela primeira vez, nenhuma região foi classificada em amarelo (risco baixo).

O mapa preliminar da 9ª rodada foi divulgado pelo governo no fim da tarde desta sexta-feira (3/7) e está disponível em https://distanciamentocontrolado.rs.gov.br. No prazo de 36 horas após a publicação do mapa preliminar, que se encerra às 6h de domingo (5/7), os municípios que quiserem apresentar recursos sobre as classificações podem preencher o formulário neste link: https://forms.gle/TsRhgUKJhQSJUP5T9. Aqueles que se enquadrarem na Regra 0-0 e podem adotar protocolos de bandeira laranja não precisam protocolar recurso.

Na segunda-feira (6/7), o Gabinete de Crise analisará os dados enviados e rodará o mapa novamente e, à tarde, divulgará as bandeiras definitivas, que serão vigentes de 7 a 13 de julho.

Conforme a análise preliminar, seis regiões tiveram piora na classificação final e, portanto, terão maiores restrições de suas atividades.Taquara registrou a mudança mais drástica: a região estava com bandeira amarela e passou direto para vermelho. Palmeira das Missões, Pelotas, Erechim e Caxias do Sul, que estavam com bandeira laranja, também migraram para vermelha. Bagé, que estavam em amarelo, foi para laranja.

Cinco regiões permaneceram sem alteração. Porto Alegre, Capão da Canoa, Novo Hamburgo e Canoas, por terem sido classificadas em vermelho pelo menos duas vezes no período de 21 dias, mesmo que apresentassem melhora nos dados, não poderiam ter regressão no nível de restrição, com isso, seguem com bandeira vermelha. Passo Fundo não apresentou melhora nem piora no cálculo dos indicadores e permanece com vermelha.

A única região que apresentou redução de risco foi Santo Ângelo, passando de vermelho para laranja. As demais regiões não tiveram alteração na sua bandeira final e permanecem com bandeira laranja.

Regra 0-0

Dos 307 municípios que compõem as áreas com bandeira vermelha, 177 cidades não tiveram registro de hospitalização e óbito por Covid-19 de morador nos 14 dias anteriores ao levantamento. Por isso, eles se adequam à chamada “Regra 0-0” e podem adotar protocolos previstos na bandeira laranja por meio de regulamento próprio.

Basta que mantenham atualizados os registros nos sistemas oficiais e adotem, por meio de decreto, regulamento próprio, com protocolos para as atividades previstas na bandeira laranja. São 998.869 pessoas (8,8% do total do RS) que estão nesta condição.

Clique aqui e confira a lista de municípios que poderá aplicar protocolos da bandeira laranja, mesmo em região com classificação vermelha.

Trava de segurança

A região de Passo Fundo, se mantida com bandeira vermelha após o período de recursos da 9ª rodada, estará inserida na trava de segurança prevista no Distanciamento Controlado, que tem objetivo de garantir a segurança da população da região.

A regra determina que regiões classificadas em vermelho por dois períodos consecutivos ou alternados dentro do prazo de 21 dias tenham de ficar duas semanas consecutivas com bandeira vermelha mesmo que os indicadores regionais apontem para restrições menos severas.

Para que as regiões de Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo e Capão da Canoa, que já estão cumprindo a determinação nesta rodada, e Passo Fundo, caso se enquadre na trava, recebam bandeira menos restritiva, elas deverão ficar pelo menos duas rodadas com redução de cor para sair da bandeira vermelha.


PRINCIPAIS DADOS DA 9ª RODADA

• O número de novos registros de hospitalizações Síndrome Respiratório Aguda Grave (SRAG) de confirmados Covid-19 aumentou 19% entre as duas últimas semanas (611 para 729);
• O número de internados em UTI por SRAG aumentou 27% no Estado entre as duas últimas quintas-feiras (459 para 582);
• O número de internados em leitos clínicos com Covid-19 no RS aumentou 16% entre as duas últimas quintas-feiras (478 para 554);
• O número de internados em leitos de UTI com Covid-19 no RS aumentou 36% entre as duas últimas quintas-feiras (307 para 418);
• O número de leitos de UTI adulto livres para atender Covid-19 no RS aumentou 5% entre as duas últimas quintas-feiras (de 624 para 653);
• O número de óbitos por Covid-19 aumentou 15% entre as duas últimas quintas-feiras (de 120 para 138);
• As regiões com maior número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias, por local de residência do paciente, são Porto Alegre (227), Novo Hamburgo (91) Caxias do Sul (83), Passo Fundo (69) e Canoas (64).

SITUAÇÃO GERAL DA 9ª RODADA

O número de novos registros de hospitalizações por Covid-19, nos últimos sete dias, comparado com a semana anterior, apresentou aumento de 19%, passando de 611 para 729. O número de internados em UTI por Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG) cresceu 27%, passando de 459 para 582. O mesmo se observa com o número de internados em leitos clínicos para Covid-19, que passou de 478 para 554 internações – crescimento de 16%. Para as internações em UTI confirmadas para Covid-19, o aumento foi de 36%, passando de 307 para 418.

O agravamento também é observado no número de casos ativos na última semana, que chegou a 4.281, frente aos 3.340 da semana anterior. Por fim, com relação ao número de leitos de UTI livres no último dia, o número subiu de 624 para 653, com a abertura de 80 leitos ao longo da semana.

O agravamento do indicador de capacidade de atendimento (número de leitos de UTI livres para cada ocupado por pacientes Covid-19), mensurada no Estado como um todo, segue em ritmo acelerado, sinalizando elevada preocupação. Na rodada anterior o indicador obteve bandeira vermelha e, nesta semana, a mensuração ficou próxima de ser definida como bandeira preta.

Este indicador nos permite acompanhar a capacidade de resposta da rede hospitalar para atender a população que necessita de atendimento neste nível de atenção. No entanto, é um indicador que também está diretamente relacionado ao avanço da doença no Estado, uma vez que quanto maior o número de casos ativos, maior o número de pacientes que necessitarão de atendimento hospitalar e maior o risco de pressão no sistema de saúde.

Mesmo com todas as ações de ampliação de leitos de UTI no Estado, o avanço na evolução da Covid-19 sinaliza risco alto de pressão ao sistema de saúde e a necessidade de se ampliar ainda mais a conscientização da população em seguir os protocolos de distanciamento, a fim de que seja possível seguir nas ações de ampliação da rede e, principalmente, para continuar garantindo o acesso adequado do paciente aos leitos hospitalares e de UTI no tempo oportuno.

MUDANÇAS REGIONAIS DA 9ª RODADA

Porto Alegre

Além da situação agravada pelos indicadores mensurados pela macrorregião, o número de hospitalizações confirmadas para Covid-19 registrado nos últimos sete dias apresentou crescimento de 11% entre as duas semanas, passando de 204 para 227. Com isso, o indicador apresentou melhora entre as duas análises, passando de bandeira preta para laranja. Porém, destaca-se que a quantidade de novas hospitalizações em proporção da população ainda é elevada, refletindo na bandeira preta para o indicador de incidência na região.

Ainda se observa crescimento em outros três indicadores de avanço da doença. O número de internados em UTI por SRAG no último dia variou de 163 para 225 entre as duas semanas. O indicador de internados em UTI confirmados para Covid-19 cresceu 37%, passando de 124 para 170. Por último, o indicador de internados em leitos clínicos Covid-19 variou de 196 para 219.

O indicador que mede o Estágio da Evolução, resultante da razão entre ativos e recuperados obteve leve melhora, passando para avaliação de risco médio (laranja). O de Projeções de Óbitos e de hospitalizações em relação a 100 mil habitantes, na última semana, se manteve em avaliação de risco máximo (preta).

Canoas

A região de Canoas é a que obteve a maior média ponderada entre todas regiões Covid, em valor de 2,14. Os registros de hospitalizações confirmadas para Covid-19 cresceram 56% entre as duas semanas, passando de 41 para 64 hospitalizações. O avanço acompanha a tendência que levou a região à bandeira vermelha há duas semanas, pois se trata da velocidade do avanço da pandemia e dos efeitos que podem permanecer por mais semanas.

Da mesma forma, na região o número de internados em UTI por SRAG no último dia passou de 31 para 42 entre as duas semanas. Para o indicador de internados em UTI confirmados para Covid-19, o crescimento foi de 68%, variando de 19 para 32 Com relação ao número de pacientes Covid-19 em leitos clínicos, o aumento foi de 9,5%, (de 42 para 46 internados).

Na razão entre os casos ativos na semana e recuperados nos 50 dias anteriores ao início da semana, o indicador se manteve em bandeira preta. No caso do número de hospitalizações confirmadas para Covid-19 nos últimos sete dias para cada 100 mil habitantes, o indicador se manteve em bandeira preta, com a razão passando de 5,17 para 8,07.

Pelotas

A região de Pelotas atinge pela primeira vez a situação de bandeira vermelha. Dos indicadores de velocidade do avanço da macrorregião, o de hospitalizações confirmadas para Covid-19 entre as duas semanas e o de pacientes Covid-19 em leitos de UTI no último dia obtiveram bandeira preta nesta semana.

A quantidade de hospitalizações confirmadas para Covid-19 registradas nos últimos 7 dias, na região, aumentou 144% entre as duas semanas, passando de 9 na semana anterior para 22 na atual. O número de internados por SRAG em UTI (de 13 para 17), o número de internados em leitos clínicos Covid-19 (de 8 para 12) e de internados em leitos de UTI Covid-19 (de 9 para 15) cresceram na macrorregião.

Com o aumento no número de casos e de hospitalizações, a região segue agravada pelos indicadores de estágio da evolução na região e de Incidência de Novos Casos sobre a População. A Capacidade de Atendimento da macrorregião e, assim como as demais regiões Covid-19, pelo

impacto da bandeira vermelha no indicador de Capacidade de Atendimento mensurada pelo Estado como um todo, foram fatores que contribuíram para a elevação de risco na região.

Portanto, o indicador de leitos de UTI livres divido pelos leitos de UTI ocupados por pacientes Covid-19, mensurado para a macrorregião, atingiu situação de bandeira laranja (com 2,71 leitos de UTI adulto livre para cada leito de UTI adulto ocupado por Covid-19 na região).

PIORA EM BAGÉ

Agravada pela piora nos indicadores da macrorregião, a região de Bagé atinge novamente situação de bandeira laranja. Apesar de que os indicadores da região de hospitalizações registradas confirmadas para Covid-19, de estágio da evolução na região e de incidência sobre novos casos sobre a população não tenham nenhuma atingido bandeira vermelha, observou-se também uma alteração de bandeiras de amarela para laranja entre as semanas.

A região apresentou um aumento no número de casos ativos na última semana, passando de 5 para 16 casos. O número de internados em UTI por SRAG aumentou de 2 pacientes para 5. Nos indicadores de internados Covid-19 em leitos clínicos e UTI, a situação foi de pequena alteração.

MELHORA EM SANTO ÂNGELO

Após uma semana em situação de bandeira vermelha, a região de Santo Ângelo teve seu grau de risco diminuído, voltando a classificação de bandeira laranja, uma vez que melhoraram os indicadores em termos de ocupação e de leitos de UTI livre por pacientes Covid-19.

Pelos números da última sexta-feira, a região reduziu o número de hospitalizações registradas para Covid-19 nos últimos 7 dias em 21%, passando de 19 para 15 entre as duas semanas. A ocupação de UTIs por pacientes SRAG aumentou de 6 para 8 pacientes, mas o número de internados em leitos clínicos e em UTI, confirmados para Covid-19, reduziram (de 11 para 9 e de 4 para 1, respectivamente). A capacidade de atendimento da macrorregião é também um dos fatores positivos, apresentando bandeira amarela nos indicadores de Capacidade de Atendimento e de Mudança da Capacidade de Atendimento.

ENTENDA O DISTANCIAMENTO CONTROLADO

Com base em evidências científicas e análise de dados, o modelo de Distanciamento Controlado – que está oficialmente em vigor desde 10 de maio, com o Decreto 55.240 – tem o objetivo de equilibrar a prioridade de preservação da vida com uma retomada econômica responsável em todo o Rio Grande do Sul.

Para isso, o governo dividiu o Estado em 20 regiões e mapeou 105 atividades econômicas. A partir de um cálculo que leva em conta 11 indicadores, segmentados em dois grupos – propagação do vírus e capacidade de atendimento de saúde –, determinou a aplicação de regras (chamados de protocolos) mais ou menos restritas para cada segmento de acordo com o risco calculado para cada região.

Conforme o resultado do cruzamento de dados divulgados de forma transparente, cada local recebe uma bandeira nas cores amarela (risco baixo), laranja (médio), vermelha (alto) ou preta (altíssimo).O monitoramento dos indicadores de risco é semanal.

Barreira sanitária junto a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) na RS-265

A barreira sanitária de prevenção ao Covid-19 passou a funcionar nesta sexta-feira (03) junto a Polícia Rodoviária Estadual (PRE) na RS-265, próximo ao trevo de acesso a São Lourenço do Sul. Este trabalho iniciou na semana passada em fase experimental junto a Casa do Turista na avenida Nonô Centeno e agora está junto a PRE onde é possível maior controle dos veículos que entram na cidade.
No local, os veículos, principalmente com placas de outros municípios são parados pela equipe, quando os ocupantes são entrevistados. É também realizada a medição de temperatura de todos os ocupantes dos veículos, inclusive ônibus. Esta medição é realizada com termômetro digital, também chamado de termômetro de testa sem contato físico. A medida é fundamental, já que a febre é um dos sintomas mais comuns da Covid-19.
A adoção da barreira foi determinada pelo decreto 5.396, após decisão conjunta das entidades que integram o Comitê Municipal de Prevenção e Combate ao Coronavírus, com objetivo de controlar a possível entrada de pessoas infectadas pelo vírus na cidade. A barreira funciona nas sextas, sábados e domingos das 10h às 17h enquanto a região estiver em bandeira laranja ou superior

Decom

Vaga de emprego na agência Yaih


Passageiros de ônibus testam negativo para Covid-19

A Secretaria de Saúde de São Lourenço do Sul realizou testes rápidos em 30 pessoas que estavam em um ônibus da Linha Porto Alegre/São Lourenço em que dois passageiros, posteriormente, testaram positivo para Covid-19. Todos os demais passageiros testaram negativo para o vírus.

Após a identificação de dois casos positivos, a Prefeitura fez um chamamento para que todos os passageiros entrassem em contato com a Unidade de Saúde Central, quando 30 pessoas se identificaram. Todas foram monitoradas e permaneceram em isolamento até que se cumprisse o prazo necessário para a realização dos testes rápidos que negativaram.

Fonte:DECOM

quinta-feira, 2 de julho de 2020

Governador Eduardo Leite (PSDB) pede que gaúchos redobrem cuidados nos próximos 15 dias em relação ao contágio com COVID-19

Governo e entidades cancelam a realização da Expointer 2020

As entidades copromotoras da Expointer 2020, em comum acordo com a Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), decidiram cancelar o evento que ocorreria no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio, devido à pandemia do coronavírus.

Nota oficial - Expointer 2020

As entidades copromotoras da Expointer 2020 – Farsul, Ocergs, Simers, Fetag, Febrac e o município de Esteio –, em conjunto com a Secretaria de Estado da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), vêm a público comunicar que, de comum acordo, decidiu-se pelo cancelamento do histórico evento aberto ao público no Parque de Exposições Assis Brasil, em Esteio-RS, em função da pandemia causada pela Covid-19.


Ao mesmo tempo, registra-se que provas técnicas de associações de produtores e atividades de julgamento de animais serão prioritariamente consideradas, observados os protocolos de saúde pública e sem a participação de público visitante.

Por fim, salienta-se que a decisão se fundamenta em critérios de adequação às normas sanitárias, ao tempo em que se reafirma a importância do evento agropecuário para a sociedade gaúcha.

Esteio, 2 de julho de 2020.

- Luis Antônio Covatti, secretário de Estado da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural
- Gedeão Pereira, presidente da Farsul
- Vergilio Perius, presidente da Ocergs
- Cláudio Bier, presidente do Simers
- Carlos Joel da Silva, presidente da Fetag
- Leonardo Lamachia, presidente da Febrac
- Leonardo Pascoal, prefeito de Esteio

Cestas Básicas da ação solidária para Pescadores da Z8


Ontem(01/07) foram entregues na Comunidade Católica Matriz as 10 cestas básicas adquiridas com a venda das tainhas assadas, na ação realizada pela Colônia de Pescadores Z8 em prol das ações do Comitê Popular de Segurança  Alimentar e Nutricional de São Lourenço do Sul! ❤️

▪️ Na ocasião foram vendidos 100 tickets, que oportunizaram a compra de 10 cestas básicas!

🤗 Novamente agradecemos a iniciativa da Colônia de Pescadores Z8, que já está idealizando mais uma ação solidária para o final do mês, com a venda de anchovas. Novas informações serão divulgadas em breve! 😊

II Roda de Conversa FURG


24 casos confirmados de COVID-19 em São Lourenço do Sul

#juntosContraOCorona | Boletim Informativo 02.07.2020

O Município teve a confirmação de mais quatro casos nesta quinta-feira (02), três ativos e um sem o vírus ativo. Trata-se de uma mulher de 76 anos do Centro que fez o teste PCR Lacen; Mulher de 59 anos do 5º Distrito que fez o teste PCR Município; e Homem de 52 anos do bairro Avenida que fez o teste rápido. Outro caso é de uma pessoa do bairro Lomba, sem o vírus ativo, ou seja, o teste rápido deu reagente IgG, o que significa que está recuperada, tem apenas anticorpos detectados no exame.
Entre as pessoas que estavam em isolamento com o vírus ativo até ontem, uma mulher do bairro Medianeira está recuperada, portanto, saindo da lista de casos ativos.

Resumo:
Casos Confirmados: 24
Casos suspeitos em Isolamento Domiciliar acompanhado pela SMS: 33
Suspeitos aguardando resultado de testagem: 18
Recuperados: 15
Testes laboratoriais e rápidos realizados: 296

Casos com vírus ativo
Mulher de 76 anos do Centro
Mulher de 59 anos do 5º Distrito
Homem de 52 anos do bairro Avenida
Homem de 74 anos do Balneário
Homem de 24 anos da Barrinha
Homem de 59 anos da Lomba
Mulher de 40 anos do 5º Distrito
Mulher de 67 anos da Barrinha
Homem de 21 anos do 5º Distrito

INSTITUIÇÕES FEDERAIS : MEC LANÇA PROTOCOLO PARA RETORNO ÀS AULAS

Ministério da Educação (MEC) lançou hoje um protocolo de biossegurança para retorno das aulas nas 69 universidades federais e 41 institutos federais do país. Esse protocolo traz diretrizes de distanciamento social coletivo em ambientes acadêmicos, além de medidas básicas de prevenção ao novo coronavírus.

O protocolo orienta, dentre outras coisas, o escalonamento das equipes, o trabalho remoto para funcionários do grupo de risco, o respeito ao distanciamento mínimo de 1,5 metro entre uma pessoa e outra e a aferição de temperatura de todos que entrarem nos prédios e nas salas.

O documento também traz orientações já comuns nos tempos atuais, como o uso constante de máscara e higienização das mãos, além de desinfecção com álcool em gel.

UFPEL ainda não definiu o reinício das aulas presenciaisUFPEL ainda não definiu o reinício das aulas presenciais

“O protocolo não é uma regra engessada, é uma diretriz para as instituições fazerem o retorno às aulas. Tem medidas protetivas individuais e coletivas, [para] salas de aula, laboratórios, transportes coletivos, atividades laborais, entre outros”, disse o secretário de Ensino Superior do MEC, Wagner Vilas Boas, em entrevista coletiva realizada hoje (1º).

Segundo ele, as orientações são para minimizar os riscos de contaminação e garantir segurança necessária a estudantes, docentes e funcionários.

O protocolo completo pode ser acessado na página especial dedicada ao coronavírus no portal do MEC (http://portal.mec.gov.br/coronavirus/).

O documento foi elaborado por uma equipe do ministério composta por médicos, biólogos e sanitaristas, seguindo orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS). Apesar de ser direcionado às instituições federais, o protocolo pode servir de guia também para instituições de ensino municipais e estaduais.

O ministério já se posicionou favorável ao retorno das aulas, desde que consideradas as recomendações do protocolo. “O desafio é o retorno às aulas e o ministério defende esse retorno. Os institutos e as universidades vão ter que conciliar ensino presencial e a distância”, disse o secretário executivo da pasta, Antônio Paulo Vogel.

Diário da Manhã

Câmara e Senado promulgaram proposta que adia as eleições municipais para novembro

As Mesas da Câmara e do Senado promulgaram nesta quinta-feira a proposta que adia as eleições municipais para novembro por conta da pandemia do novo coronavírus. Os prazos do calendário eleitoral também são adiados. De acordo com a Emenda Constitucional 107, os dois turnos das eleições serão realizados nos dias 15 e 29 de novembro. As datas anteriores eram 4 e 25 de outubro. O Congresso poderá fixar novas datas em cidades com muitos casos da Covid 19 a pedido da Justiça Eleitoral, mas as eleições não poderão ultrapassar a data limite de 27 de dezembro para assegurar que não haverá prorrogação dos atuais mandatos. A data da posse permanecerá a mesma: 1º de janeiro de 2021. A Emenda também adia todas as etapas do processo eleitoral de 2020, como registro de candidaturas e início da propaganda eleitoral gratuita (veja quadro abaixo).


Negociação
As regras foram negociadas com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que, desde o início da pandemia, discutiu o adiamento das eleições para evitar aglomerações e garantir o processo democrático.

A Emenda Constitucional é resultado da PEC 18/20, do senador Randolfe Rodrigues, que foi votada em duas semanas pelas duas casas.

Outros pontos
A PEC 18/20 contém outros pontos importantes. Os principais são:
• os prazos de desincompatibilização vencidos não serão reabertos;
• outros prazos eleitorais que não tenham transcorrido na data da promulgação da PEC deverão ser ajustados pelo TSE considerando-se a nova data das eleições;
• os atos de propaganda eleitoral não poderão ser limitados pela legislação municipal ou pela Justiça Eleitoral, salvo se a decisão estiver fundamentada em prévio parecer técnico emitido por autoridade sanitária estadual ou nacional;
• a prefeitura e outros órgãos públicos municipais poderão realizar, no segundo semestre deste ano, propagandas institucionais relacionadas ao enfrentamento da pandemia de Covid-19, resguardada a possibilidade de apuração de eventual conduta abusiva, nos termos da legislação eleitoral.

A cerimônia contou com a participação do presidente do TSE, Luis Roberto Barroso.

Fonte: Agência Câmara de Notícias

Enfraquecimento da cadeia produtiva do tabaco

Na Comissão de Agricultura, Pecuária e Cooperativismo da Assembleia Legislativa, voltamos a falar da dramática situação do tabaco no RS este ano. Vamos encaminhar à Comissão de Agricultura, um conjunto de considerações que foram apresentadas na nossa última audiência sobre o tema, como a constituição da Frente Parlamentar em Defesa dos Produtores de Tabaco, que já está sendo organizada pelo nosso mandato.

Infelizmente já tivemos o enfraquecimento da cadeia do leite e estamos tendo do tabaco também. É incompreensível o fato de que um saco de salitre vai para R$ 152,00, e um arroba de fumo que vale R$ 150,00, estão pagando R$ 75,00, por exemplo.

Além disso, não há cumprimento da legislação por parte das empresas, e a Câmara Setorial, ligada à Secretaria da Agricultura, Pecuária e Desenvolvimento Rural (Seapdr), deve atuar como mediadora entre os elos da cadeia produtiva, considerando a opinião dos agricultores.

As empresas são muito importantes, mas os produtores também, a ponto de o sistema não funcionar sem eles. Atualmente, temos um sistema de classificação unilateral, conforme as iniciativas ditas pelo mercado, sem respeitar a legislação, e isso não é correto.

Segundo a Associação dos Fumicultores do Brasil (Afubra), a projeção de produção da Safra 2019/2020 é de aproximadamente 646.991 toneladas no Sul do Brasil, menor que da safra anterior de 664.355.

A produção de tabaco é feita pela agricultura familiar, 60% dos produtores têm entre 1 e 20 hectares, e 27% deles não são proprietários.

Fonte: Gabinete deputado Zé Nunes(PT)
Foto: Rogério Almeida

quarta-feira, 1 de julho de 2020

#juntosContraOCorona | Boletim Informativo 01.07.2020


Resumo:
Casos Confirmados: 20
Casos suspeitos em Isolamento Domiciliar acompanhado pela SMS: 29
Suspeitos aguardando resultado de testagem: 18
Recuperados: 13
Testes laboratoriais e rápidos realizados: 280

Casos com vírus ativo
Homem de 74 anos do Balneário
Homem de 24 anos da Barrinha
Homem de 59 anos da Lomba
Mulher de 40 anos do 5º Distrito
Mulher de 67 anos da Barrinha
Homem de 21 anos do 5º Distrito
Mulher de 66 anos da Medianeira

Governo prorroga auxílio emergencial

Por ordem do presidente Jair Messias Bolsonaro, o Governo Federal vai prorrogar o #AuxílioEmergencial por mais dois meses. O decreto, assinado em cerimônia nesta tarde (30) no Palácio do Planalto, estabelece que serão pagos R$ 600 em julho e agosto. Saiba +: https://bit.ly/2VykO5w #NinguémFicaPraTrás


Vaga de emprego para aguador


Policia Civil e Brigada Militar realizaram apreensões


A Polícia Civil e a Brigada Militar de São Lourenço do Sul realizaram o cumprimento de mandados de busca e apreensão na manhã de hoje 01/07/2020, visando o combate ao tráfico de drogas. Na residência de um investigado foram apreendidas porções de maconha, de cocaína e uma balança de precisão. Em outra residência, suspeita de armazenar drogas para traficantes, foram encontradas porções de cocaína, uma arma de fogo calibre .38 e 56 munições.

terça-feira, 30 de junho de 2020

Telefone da Defesa Civil de São Lourenço do Sul


#juntosContraOCorona | Boletim Informativo 30.06.2020

Resumo:
Casos Confirmados: 20
Casos suspeitos em Isolamento Domiciliar acompanhado pela SMS: 24
Suspeitos aguardando resultado de testagem: 15
Recuperados: 13
Testes laboratoriais e rápidos realizados: 253

Casos com vírus ativo
Homem de 74 anos do Balneário
Homem de 24 anos da Barrinha
Homem de 59 anos da Lomba
Mulher de 40 anos do 5º Distrito
Mulher de 67 anos da Barrinha
Homem de 21 anos do 5º Distrito
Mulher de 66 anos da Medianeira

Operação Avante reuniu Polícia Civil e Brigada Militar de São Lourenço do Sul

A Polícia Civil, através da Delegacia de Polícia Civil de São Lourenço do Sul, participou da Operação Avante Combate ao Abigeato da Brigada Militar em parceria da Vigilância Sanitária de São Lourenço do Sul e Inspetoria Veterinária do Estado do Rio Grande do Sul.
Durante a operação foram fiscalizados 10 estabelecimentos comerciais que trabalham com produtos de origem animal. Foram apreendidos:  340,6 kg de alimentos (entre carnes diversas, peixes, salsichas, pastéis), 1,8kg de massas frescas, 3kg de maionese e 5 litros de bebidas.

NOTA DE REPÚDIO À DISCRIMINAÇÃO CONSTANTE DO DECRETO MUNICIPAL DE Nº 5.396 de 24 de junho de 2020 DE SÃO LOURENÇO DO SUL/RS

Prezados cidadãos são lourencianos
Na última semana fomos surpreendidos pelo novo Decreto Municipal do Prefeito de São Lourenço do Sul, determinando que EXCLUSIVAMENTE a categoria de marinheiros fluviais, representada pelos trabalhadores que laboram em embarcações fora do município de São Lourenço do Sul, deverão se identificar através de um cadastro junto à Secretaria Municipal de Saúde, a determinação está contida no art. 3º do Decreto 3.396/2020. Além disso, o decreto ainda determina que EXCLUSIVAMENTE esses trabalhadores marítimos deverão isolar-se em quarentena caso tenham tido contato com pessoa diagnosticada ou com suspeita de COVID-19. É com indignação que lemos tais determinações municipais que manifestam tanto preconceito e falta de respeito às categorias de trabalhadores da nossa cidade.Há hoje diversos segmentos de trabalhadores que entram e saem dos limites municipais diariamente, deslocando-se para seus trabalhos fora de São Lourenço e retornando no final do dia ou no final de semana, como é também o caso dos médicos, enfermeiros, motoristas de transporte público ou privado, trabalhadores empregados nas cidades vizinhas, policiais militares, funcionários de prefeituras vizinhas, entre outros tantos, no entanto o decreto discriminatório determina que apenas os marinheiros sejam cadastrados pela Secretaria Municipal de Saúde. Estamos todos unidos na contenção da disseminação do COVID-19 e a categoria dos marinheiros está atuando incansavelmente no fornecimento de mantimentos essenciais à população de todo estado, além de estar atenta e cumprindo todas as medidas de segurança determinadas pelo governo federal, estadual e municipal, portanto, não iremos tolerar que o Decreto Municipal venha a discriminar e marginalizar nossa categoria de trabalhadores.Discriminação é crime! O SINDICATO DOS TRABALHADORES EM TRANSPORTE MARÍTIMOS E FLUVIAIS DO ESTADO DO RIO GRANDE DO SUL/RS - SINFLUMAR/RS repudia o texto contido no artigo 3º do Decreto n 5.396/2020. Como passo em direção à construção do diálogo, espera a retratação da Prefeitura Municipal de São Lourenço do Sul, através de seu prefeito, para que faça incluir no referido cadastro municipal todos os trabalhadores que se deslocam do município diariamente para laborarem em outras cidades, ou então que, revogando o referido artigo, não exija o cadastro de nenhum desses trabalhadores por extrema medida de igualdade! Nada sendo feito a respeito, esse sindicato irá buscar as medidas legais cabíveis para responsabilização dos envolvidos.Deixamos nosso cumprimento aos cidadãos são lourencianos que possuem nosso profundo respeito.Na expectativa de uma retratação pública do prefeito e de que vivamos dias melhores.

                    Valdez Francisco de Oliveira
Presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Transportes marítimos e Fluviais no Estado do Rio Grande do Sul/RS.


Acesse o link e assine o abaixo-assinado: https://forms.gle/WHmL8tQTWpQ6W4Y47

segunda-feira, 29 de junho de 2020

Prefeitura apresenta novo modelo de boletim sobre Coronavírus

#juntosContraOCorona | Boletim Informativo 29.06.2020

Devido ao aumento de casos confirmados de Covid-19 nos últimos dias, o boletim informativo diário ganha novo formato, com o número de casos por bairros e localidades do interior e também informações sobre pessoas com o vírus ativo.
Resumo:
Casos Confirmados: 20
Casos suspeitos em Isolamento Domiciliar acompanhado pela SMS: 41
Suspeitos aguardando resultado de testagem: 16
Recuperados: 10
Testes laboratoriais e rápidos realizados: 233

Casos com vírus ativo
Homem de 74 anos do Balneário
Homem de 24 anos da Barrinha
Homem de 59 anos da Lomba
Mulher de 40 anos do 5º Distrito
Mulher de 67 anos da Barrinha
Homem de 21 anos do 5º Distrito
Homem de 59 anos do Navegantes
Homem de 52 anos do Navegantes
Mulher de 66 anos da Medianeira
Homem de 57 anos do Navegantes

Vaga de emprego para Cozinheiro (a)

OPORTUNIDADE!!

A Santa Casa de Misericórdia de São Lourenço do Sul, abre processo para análise de currículos para contratação de
COZINHEIRO(a)!

*REQUISITOS para participação:

- Disponibilidade de horário para assumir escala de regime de plantão, inclusive em finais de semana e feriados;
- Experiência em cozinha (mínimo de 06 meses);
- Escolaridade mínima 1º grau completo.

Interessados deverão encaminhar o currículo ao setor de RH da Santa Casa, ou através do e-mail rhsantacasasls@gmail.com, até o dia 03/07/2020.