sexta-feira, 3 de abril de 2020

Deputado Brum cobra medidas mais efetivas do Estado na luta contra o coronavírus

O deputado estadual Edson Brum (MDB) manifestou na segunda-feira (30) ao presidente da Assembleia Legislativa, Ernani Polo, a sua preocupação quanto a morosidade do Rio Grande do Sul em questões essenciais no combate contra o coronavírus. Ele solicitou que o Parlamento cobre medidas mais efetivas do governo gaúcho, principalmente neste momento em que o Estado ingressa na fase mais crítica na luta contra o covid-19.

“É fundamental que os testes sejam aplicados preferencialmente em profissionais da saúde e da Brigada Militar. Além disso, é necessário que sejam disponibilizados os dois tipos de testes - o IGG e o IGM. Desta forma, poderemos liberar com segurança a população para que retomem as suas atividades progressivamente”, destacou Brum.

O deputado também ressaltou ao presidente Ernani o fato de Porto Alegre ainda não possuir mobilização quanto à construção de locais de triagem ou hospitais de campanha, como ocorre em outras cidades, como Canoas e Santa Cruz do Sul. “Essas estruturas deveriam estar sendo erguidas próximas aos hospitais para facilitar o deslocamento dos pacientes caso forem diagnosticados com o vírus e necessitarem de cuidados médicos adequados”, enfatizou.

Outra questão levantada por Brum foi o fato da capital gaúcha contar com três hospitais onde poderiam ser abertos 550 novos leitos para o coronavírus: Parque Belém (250), Álvaro Alvim/Ulbra (150) e Beneficência Portuguesa (150). “Por que nada está sendo feito para isso? Por que estamos desperdiçando a oportunidade de aproveitarmos estes espaços quando precisamos tanto de leitos para atendermos uma demanda que deve ser intensa nas próximas semanas?”, questionou.  

Para completar, o deputado Brum conferiu junto ao presidente do Parlamento se o governo estadual já anunciou onde serão investidos os R$ 30 milhões em economias e os R$ 55 milhões em emendas coletivas destinados pela Assembleia Legislativa. 

Parceria entre Daer e IGP agiliza entrega de kits contra o coronavírus ao interior

O Departamento Autônomo de Estradas de Rodagem (DAER) – vinculado à Secretaria de Logística e Transportes (Selt) – viabilizou a distribuição rápida de kits contra o coronavírus para os profissionais do Instituto Geral de Perícias (IGP) do interior do estado. As luvas, as máscaras e os macacões de proteção foram enviados na última semana para postos médico-legais e de criminalística por meio de ônibus intermunicipais.

De acordo com o secretário Juvir Costella, a parceria integra um conjunto de ações que busca adequar a logística para atender a população durante a pandemia. "Da mesma forma que assegurarmos a continuidade de obras e serviços importantes para a sociedade, também implantamos medidas para garantir o abastecimento e o transporte de itens essenciais que circulam por nossas estradas", salienta.
Lote com 22 kits foi despachado na rodoviária de Porto Alegre na última semana - Foto: Ascom IGP

O diretor-geral do DAER, Luciano Faustino, destaca a agilidade e a economia gerada pela integração com o IGP. “Por meio dessa parceria, que não gerou custos para o Estado, foi possível fazer com que itens fundamentais para a segurança dos servidores chegassem aos municípios no menor tempo possível e fossem imediatamente utilizados”, acrescenta.

Os kits foram entregues nas cidades de Caxias do Sul, Bento Gonçalves, Vacaria, Carazinho, Erechim, Passo Fundo, Soledade, Cruz Alta, Ijuí, Santo Ângelo, São Borja, Três Passos e Palmeira das Missões. “Esse foi o primeiro lote enviado e estamos prontos para contribuir com a logística de entrega de outros, caso seja necessário”, adianta o diretor de Transportes Rodoviários do DAER, Lauro Hagemann. “Neste momento crítico, os materiais precisam chegar rápido à população para evitar a disseminação do vírus”, finaliza.


Liana Ramos
 Núcleo de Assessoria de Imprensa

quinta-feira, 2 de abril de 2020

⚠️🔁 *São Lourenço do Sul - Legislativo destina R$ 250 mil para o enfrentamento da pandemia do Coronavírus e estiagem

Nesta quarta-feira (01), o Poder Legislativo de São Lourenço do Sul anunciou uma importante medida para auxiliar e minimizar os impactos no enfrentamento da pandemia do Coronavírus em São Lourenço do Sul. A Câmara Municipal está destinando R$ 250 mil para o executivo como medida emergencial em apoio ao combate e reflexos da pandemia, o recurso é oriundo da antecipação de devolução do duodécimo e também auxiliará nas ações emergenciais da estiagem no município.

As ações são tratadas como prioridade pela mesa diretora do Poder Legislativo, através do presidente da Câmara Luis Weber, vice-presidente do legislativo Carmem Rosane Roveré, 1º Secretário Rodrigo Seefeldt  e 2º Secretário Ronei Schmalfuss, com participação fundamental da Procuradora Especial das Mulheres na Câmara Márcia Lucas e dos vereadores Abel Bueno, Jonatã Harter, Dari Pagel, Adrean Peglow, Matias Fromming e Paulinho Pereira.
No inicio dessa semana a Câmara encaminhou ofício solicitando o plano de trabalho ao executivo. Nesta quarta-feira (01) será realizada a transferência do recurso. O Legislativo sugere que a Administração Municipal direcione o recurso para aquisição de equipamentos que garantam a saúde da população lourenciana, aplique recursos no desenvolvimento social e econômico nesse momento de crise e invista na recuperação do município na situação de estiagem. A Câmara Municipal pertente direcionar mais recursos do Legislativo para o enfrentamento da Covid-19 e também visando ações de combate a estiagem em São Lourenço do Sul.

Os vereadores lourencianos aprovaram na sexta-feira  (27) em Sessão Extraordinária o Projeto de Lei do Executivo que reconhece a calamidade pública municipal, convalida as medidas disciplinares no Decreto Municipal nº 5313 e autoriza prorrogação de vencimentos dividas de natureza tributária e não tributária no exercício 2020. Conforme Resolução de Mesa 02/2020, Os Vereadores e Servidores poderão ser convocados, a qualquer momento, em caso de necessidade e relevante interesse público, bem como, para participarem de Sessões Ordinárias e/ou Extraordinárias, ou para realização de atividades internas consideradas indispensáveis. Continuam suspensas, nas dependências das Câmara Municipal, todas as atividades com público externo que envolvam aglomeração de pessoas, por tempo indeterminado.

Em caso de convocação, o Vereador-Presidente da Câmara ou os Vereadores-Presidentes de suas comissões poderão adotar critério de acesso diverso da constante deste artigo, para participantes por eles autorizados, às sessões ou às reuniões, caso em que obedecerão à recomendação do Ministério da Saúde que sugere o espaçamento de pessoas, evitando o contato direto, cabendo ao setor competente desta Casa Legislativa, cuidar para demarcar as cadeiras do Plenário, de Salas de Reuniões e de outros locais internos, de tal forma a prevenir o risco de eventual contágio.

Cristal - Decreto Municipal proíbe o funcionamento de estabelecimentos comerciais

O novo Decreto Municipal nº 2653 reitera a Declaração de estado de Calamidade em todo município com fins de medidas complementares sobre prevenção ao contagio pelo novo Coronavírus (COVID-19), e dá outras providências, como proíbe, a abertura para atendimento ao público, em caráter excepcional e temporário, dos estabelecimentos comerciais situados no Município de Cristal. O fechamento dos estabelecimentos comerciais, de que trata o art. 2º do Decreto, vigorará até o dia 15 de abril de 2020.


terça-feira, 31 de março de 2020

Informativo Instituto Estadual de Educação Dr. Walter Thofehrn

ATENÇÃO Comunidade Escolar, alunos e alunas, comunicamos a prorrogação da suspensão das aulas até o dia 30 DE ABRIL conforme anúncio do Governo do Estado do Rio Grande do Sul, como medida de combate a proliferação do COVID-19.

DESTACAMOS a importância de realização das atividades e tarefas encaminhadas como forma de garantirmos as aulas e as avaliações neste período de suspensão das aulas.

Novas atividades e tarefas serão encaminhadas tão logo recebamos novas orientações da SEDUC.

Observamos também que os alunos que porventura, ainda não tenham acesso as atividades encaminhadas por WhattsApp não serão prejudicados. mas precisam entrar em contato com a escola, aqui pelo face, para efetuarem as atividades propostas e também realizarem o cadastro no grupo da turma.

Ficamos a disposição para dirimir dúvidas e realizar esclarecimentos, através do Facebook da Escola, respondendo os questionamentos dentro do possível.

Aproveitamos também para lembrar que continuem se cuidando e seguindo as orientações e cuidados com a vida de vocês e de todos.

RS aguarda para abril R$ 174 milhões em emendas da bancada federal para enfrentamento do coronavírus

Com o objetivo de reforçar a parceria entre o governo do Estado e a bancada federal gaúcha nas ações de enfrentamento à Covid-19, na tarde desta segunda-feira (30/3) o governador Eduardo Leite dialogou, por videoconferência, com deputados federais e senadores gaúchos. Além de receber a confirmação da destinação de R$ 174 milhões em emendas para a saúde, que devem ser liberados já em abril pelo governo federal, Leite destacou algumas pautas importantes para o Estado que devem ser apreciadas a partir desta semana no Congresso Nacional.

“A disponibilidade de recursos da bancada para apoiar os investimentos necessários na saúde é fundamental. Algumas pautas relevantes em função dos impactos econômicos causados pelo coronavírus devem tramitar nesta semana em caráter de urgência no Congresso Nacional”, disse o governador, agradecendo aos parlamentares pela parceria.

Leite lembrou que o anúncio do governo federal para auxiliar os Estados, na semana passada, pouco contempla o Rio Grande do Sul, que já não paga a dívida com a União por força de liminar. Além disso, ainda sofre com os impactos da estiagem e contabilizará redução expressiva no movimento econômico no fim de março e em abril.

Para enfrentar essa situação e ampliar o auxílio federal, o governador conta com o apoio dos parlamentares em algumas demandas defendidas pelo RS. Uma delas, a ser analisada primeiro no Senado, promove o repasse de duas cotas mensais extraordinárias dos Fundos de Participação dos Estados (FPE) e dos Municípios (FPM) aos entes federados para atendimento de despesas extraordinárias de saúde e compensação de perdas de arrecadação decorrentes da pandemia.

Aos Estados, o valor mensal previsto é de R$ 11 bilhões. A intenção é que o critério de distribuição não seja integralmente o FPE, mas que cerca de um terço desse valor (R$ 3,5 bilhões) seja dividido tendo como base os critérios da Lei Kandir e do Fundo de Auxílio à Exportação (FEX), assim como ocorreu com a cessão onerosa, no ano passado.

Como a suspensão da dívida dos Estados com a União não beneficia o RS, outra medida buscada pelo governo gaúcho, segundo Leite, é a suspensão do pagamento da dívida junto aos organismos internacionais (BID e Banco Mundial), o que daria um fôlego de cerca de R$ 55 milhões por mês aos cofres estaduais.

Entre outras ações, o RS pede a suspensão do pagamento de precatórios ao longo deste ano e a ampliação do prazo para quitar as dívidas acumuladas entre 2024 e 2028, que poderá significar uma economia de R$ 500 milhões.

Ainda nesta semana, deve entrar na pauta da Câmara dos Deputados outro projeto de extrema relevância para o Estado, referente ao substitutivo que trata do Plano Mansueto e que poderá determinar modificações no Regime de Recuperação Fiscal (RRF), ao qual o RS busca adesão.

“Temos de atuar em conjunto em várias frentes e contamos, mais uma vez, com o importante apoio da nossa bancada no Congresso Nacional”, ressaltou Leite.

Investimentos contra a pandemia

A secretária de Saúde, Arita Bergmann, explicou aos parlamentares de que forma o Estado pretende utilizar os R$ 174 milhões. A intenção é investir na compra de equipamentos de proteção individual (EPIs); na criação de clínicas de triagem nos municípios; em hospitais com leitos de UTI; em hospitais municipais onde o atendimento à rede pública é de 100%; na compra de equipamentos necessários para a estruturação de mais cem leitos de UTI; na aquisição de respiradores; e no custeio do transporte sanitário de urgência e emergência.

“Agradeço muito pela sensibilidade dos parlamentares em contribuírem com essas emendas que podem significar entrega concreta no processo de enfrentamento da pandemia”, afirmou a secretária.

O coordenador da bancada federal, deputado Giovani Cherini, informou que, além do dinheiro para a saúde, os parlamentares gaúchos destinaram outros R$ 34 milhões para a agricultura, setor afetado pela estiagem, e R$ 11 milhões para a segurança pública. O total a ser repassado ao RS chega a R$ 220 milhões. “Estamos aqui para atender ao chamamento do governo e dos gaúchos. A bancada tem esse compromisso com a saúde”, disse.

Além dos debates em torno das emendas e das demandas do RS, o governador e a secretária esclareceram dúvidas em relação aos repasses de equipamentos, testes e outros serviços disponibilizados aos municípios no enfrentamento da pandemia. Também participaram do encontro o vice-governador e secretário da Segurança Pública, Ranolfo Vieira Júnior, e o procurador-geral do Estado, Eduardo Cunha da Costa.

Texto: Renan Arais
Edição: Vitor Necchi/Secom

segunda-feira, 30 de março de 2020

Propostas para adiar eleições ganham força entre senadores

As propostas legislativas de adiamento das eleições municipais de 2020 para 2022, devido à pandemia de coronavírus, têm ganhado força entre senadores. Um deles é o líder do PSL, senador Major Olimpio (PSL-SP), que defende a unificação dos pleitos federais, estaduais e municipais, evitando-se os gastos com as campanhas eleitorais deste ano. A economia esperada, segundo o senador, seria de até R$ 1,5 bilhão, além dos recursos do fundo eleitoral, que não seriam utilizados. 

Major Olimpio, que chegou a enviar ofício ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) pedindo o adiamento das eleições, deve apresentar uma proposta de emenda à Constituição (PEC) nesse sentido. Em debate transmitido pelas redes sociais na sexta-feira (27), o senador destacou que o momento pede união.

“É hora de união e não de eleição. Fazer as eleições este ano gerará um grande risco à saúde pública, bem como um grande desperdício de bilhões de reais de dinheiro público, que pode ser destinado ao suporte à população na luta contra o coronavírus”, destacou. 

No domingo (29), o senador Elmano Ferrer (Podemos-PI) disse estar reunindo esforços para a viabilização de outra PEC, de sua autoria, também com vistas à realização de eleições gerais em 2022. Por meio de sua assessoria, ele ressaltou a situação de calamidade pública no país, com todas as atenções voltadas para o combate ao coronavírus. Ele defende que a verba das campanhas eleitorais seja destinada a estados e municípios na luta contra a covid-19. 

“Além de permitir concentrarmos todos os esforços no combate à epidemia, esta medida trará benefícios para os cofres públicos. Esse é o momento para que as eleições se tornem coincidentes no Brasil” – ponderou. 

PECs
Para uma PEC ser apresentada, o senador deve colher assinaturas de outros 26 parlamentares. Além das propostas que Major Olimpio e Elmano Ferrer pretendem protocolar, há outras proposições em análise no Senado que pedem a unificação das eleições federais, estaduais e municipais. A mais recente (PEC 143/2019) é do senador Luiz do Carmo (MDB-GO), que muda a duração do mandato dos prefeitos e vereadores eleitos em 2020 para viabilizar a coincidência geral dos mandatos a partir de 2026. 

Seguindo o mesmo entendimento, senadores como Luis Carlos Heinze (PP-RS), Ciro Nogueira (PP-PI) e Mailza Gomes (PP-AC) se pronunciaram nas redes sociais. Para Ciro, o adiamento das eleições seria um “ato humanitário” que poderá salvar milhares de vidas, com o uso de cerca de R$ 8 bilhões no enfrentamento à covid-19. Já Mailza afirmou que, em vez de campanha eleitoral, o tempo é de união de esforços e de atenção das autoridades voltada unicamente às medidas de combate e enfrentamento ao coronavírus no país. 

“O momento agora não é de pensar em eleições, e sim, de isolamento e de buscarmos soluções para enfrentarmos essa pandemia. Saúde das pessoas em primeiro lugar”, escreveu. 

Tempo
O senador Lasier Martins (Podemos-RS) disse concordar com o adiamento das eleições, mas demonstrou preocupação com a possibilidade de contestações das PECs que unificam os pleitos. Em entrevista à Agência Senado, ele citou o caso de municípios brasileiros onde a população espera mudança de seus prefeitos por terem, segundo afirmou, frustrado as expectativas dos eleitores. Lasier ressaltou, no entanto, que os bons gestores, quando for o caso, terão a chance de ser reeleitos. 

O senador chegou a enviar ofício à presidente do TSE, Rosa Weber, sugerindo mudar o prazo para filiações, de 3 de abril para 3 de maio. Também pediu que a data da eleição seja redefinida, de acordo com o andamento da epidemia. Lasier defendeu ainda uma proposta de emenda constitucional que está sendo preparada pela senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) propondo a realização das eleições municipais logo após o fim da decretação de calamidade, previsto para agosto. O texto, segundo o senador, pretende estabelecer como marco 120 dias a partir da data de definição do fim da crise pelo Ministério da Saúde. 

— Me propus a ser o relator da matéria, e adiantei que apresentarei emenda para que o pleito seja realizado em até 90 dias após a declaração do fim da pandemia. Sugestão prontamente acatada pela senadora [Soraya]. Com isso, mantemos o preceito constitucional, com tempo suficiente para sua organização e realização até 6 de dezembro, e deixamos para outra ocasião a discussão sobre a unificação dos pleitos, que deverá ser bastante árdua — justificou. 

Evolução
Faltam 185 dias para as eleições municipais. O senador Alvaro Dias (Podemos-PR) chegou a lançar enquete no Twitter para obter a opinião dos internautas sobre a transferência do pleito. Das 4.043 pessoas que participaram da pesquisa até esta segunda-feira (30), 65.9% concordaram que as eleições de 2020 devem ser adiadas. Os 34.1% restantes discordaram da medida. 

Na opinião do senador Marcelo Castro (MDB-PI), ainda é cedo para tratar do assunto. Ele ponderou que, por enquanto, o foco das atenções deve ser a saúde do país e as ações de enfrentamento à covid-19. 

"O momento é de cautela e devemos estar focados no combate à pandemia do coronavírus, para depois falar em eleições", declarou, por meio da assessoria.  

Em nota publicada na página do TSE na quinta-feira (26), a ministra Rosa Weber esclareceu que o tribunal está acompanhando a evolução diária do cenário de crise nacional. Ela considerou prematuro o debate sobre o adiamento das eleições, mas pontuou que a velocidade da evolução do quadro exige permanente reavaliação das providências. 

“Essa avaliação é compartilhada pelo vice-presidente, ministro Luís Roberto Barroso, que estará na presidência do TSE durante o próximo pleito”, informou a nota.

Fonte: Agência Senado.

COMUNICADO PARADOURO GRILL


De acordo com OMS (Organização Mundial de Saúde) e o Ministério da Saúde, é necessário isolamento social por 14 dias para evitar o contágio rápido e com isso tempo para planejar e estruturar o sistema de saúde para o combate a pandemia.

Por acreditarmos na vida em primeiro lugar, o
Paradouro Grill respeitará esse prazo e não abre essa semana.

Em Cristal, operamos como serviço essencial de apoio às empresas de linhas que transportam os cidadãos que precisam se locomover de uma cidade para outra e algum cliente desabastecido em regime de plantão, tomando todas as medidas sanitárias exigidas. Abrimos somente no horário de atendimento aos ônibus, em seguida permanecemos fechado.

Em Camaquã, o restaurante e pizzaria estão fechados por completo.

Anvisa libera uso da cloroquina em pacientes graves e define dosagem

A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) liberou o uso da cloroquina apenas para pacientes hospitalizados e em estado grave e determinou a dosagem específica da droga.  As regras para o uso do medicamento estão publicadas em nota informativa do Ministério da Saúde na última sexta-feira (27).
O informativo diz: "O Ministério da Saúde do Brasil disponibilizará para uso, a critério médico, o medicamento cloroquina como terapia adjuvante no tratamento de formas graves, em pacientes hospitalizados, sem que outras medidas de suporte sejam preteridas em seu favor. A presente medida considera que não existe outro tratamento específico eficaz disponível até o momento."

Dosagem

Para o tratamento da Covid-19 em pacientes graves, a Anvisa sugere 6 dias de tratamento com hidroxicloroquina (e hidroxicloroquina em associação com azitromicina), uma vez que 70% dos pacientes estavam "sem detecção viral em relação ao grupo controle, o que em caráter preliminar, pode sugerir um potencial efeito anviral no coronavírus humano".
De acordo com a determinação do Ministério da Saúde, tanto a cloroquina quanto a hidroxicloroquina são fármacos "indicados para o tratamento das doenças artrite reumatoide e artrite reumatoide juvenil (inflamação crônica das arculações), lúpus eritematoso sistêmico e discoide, condições dermatológicas provocadas ou agravadas pela luz solar e malária".
Normalmente, para essas doenças, a cloroquina é ministrada entre 50mg e 150mg, enquanto a da hidroxicloroquina é de 400mg. 

Efeitos colaterais

A Anvisa alerta, porém, para os efeitos colaterais dos medicamentos e é taxativa ao proibir a automedicação. De acordo com a agência, "os eventos adversos relatados a longo prazo devido ao uso da cloroquina incluem retinopatia e distúrbios cardiovasculares". 

Distribuição pelo SUS

A nota do Ministério da Saúde diz ainda que, "com o aumento dos casos da Covid-19 e a velocidade de transmissão do coronavírus no Brasil, projeta-se para a primeira distribuição um quantavo calculado com base no número de casos noficados no último bolem oficial do MS (25/03/2020) e um estoque de reserva".
A pasta garante que cada estado e o Distrito Federal vão receber quantidade "suficiente para atender de imediato os pacientes hospitalizados e para o pronto atendimento de novos casos".
Ainda segundo a Saúde, "cada paciente receberá 2 blister c/ 10 comprimidos, para evitar fracionamento. Nenhuma UF receberá menos de 4 caixas (2.000 comprimidos)". Esse envio será feito pelo Ministério da Saúde às Secretarias de Saúde, responsáveis por repassar os remédios para os hospitais de referência.
O primeiro envio das caixas de cloroquina e hidroxicloroquina estava previsto para começar na última sexta-feira (27).

Como prevenir o contágio do novo coronavírus 

De acordo com recomendações do Ministério da Saúde, há pelo menos cinco medidas que ajudam na prevenção do contágio do novo coronavírus:
• lavar as mãos com água e sabão ou então usar álcool gel.
• cobrir o nariz e a boca ao espirrar ou tossir.
• evitar aglomerações se estiver doente.
• manter os ambientes bem ventilados.
• não compartilhar objetos pessoais.

Correio do Povo 

domingo, 29 de março de 2020

Vereador Dari favorável ao repasse de valores da Câmara para combate ao COVID-19


Panorama Regional COVID-19


Safra do Camarão "bombando" em SLS

A captura do crustáceo acontece em grande ritmo em São Lourenço do Sul



Brigada Militar de São Lourenço do Sul prende homem por tráfico de entorpecentes

No sábado (28), durante patrulhamento na vila Colina do Sol, em São Lourenço do Sul, policiais militares da Força Tática da Brigada Militar abordaram um indivíduo e ao revistá-lo foi encontrado em seu bolso uma porção de cocaína pronta para o comércio. Além disso, também foi
encontrada em suas vestes uma sacola contendo cocaína pesando 210,43 gramas e uma pedra grande de crack pesando 26 gramas. Ainda foi apreendido o valor de R$ 20,00 (vinte) reais em espécie. Foi dada voz de prisão por tráfico de entorpecentes e o mesmo foi conduzido ao HPS e posteriormente a Delegacia de Polícia, onde foi autuado em flagrante delito pela autoridade policial.

Comunicação Social 30° BPM - São Lourenço do Sul

sexta-feira, 27 de março de 2020

Boletim Diário Covid-19 em São Lourenço do Sul - 27/03/2020

#juntosContraOCorona  |

Casos em análise - 03
Casos descartados - 04
Casos confirmados - 0

Os três casos em análise ainda aguardam resultado do LACEN, localizado em Porto Alegre.

O LACEN é responsável pelas análises para Covid-19 em todo o Estado, é o único laboratório credenciado a fazer o exame.

Prefeitura monta estrutura para combate ao COVID-19


#juntosContraOCorona | Para auxiliar no combate do COVID-19, a Prefeitura de São Lourenço do Sul está montando estrutura externa à UBS Central para atendimento a população que estiver com sintomas gripais durante o final de semana.

Ressaltamos que todo o atendimento a pessoas com sintomas de síndromes gripais será realizado junto à UBS Central. Pacientes que procurarem atendimento junto ao Pronto Socorro serão encaminhados à UBS Central.
Na segunda-feira o atendimento será novamente junto às UBS e ESF de referência.